Concurso de histórias de terror para gestantes.

Que grávida escuta muita “dica”, “conselho” e “aviso” não é novidade pra ninguém, pelo menos pra quem já ficou barriguda. Mas, tem uma coisa na vida da grávida que vai mais além dos comentários não solicitados, que são as histórias de terror que ela escuta.

Pode escrever: 99,9% das grávidas escutaram no mínimo uma dessas, e eu também escutei as minhas, como já comentei nesse post. Mas dentre todas, tem uma vencedora, inacreditavelmente vencedora.

***

Primeiramente, vamos combinar que a barrigona parece que dá uma autorização automática pro povo vir chegando e ter os mais diversos tipos de interação. Se a alguém carregasse uma faixa com os dizeres “Pago ouro pelos seus conselhos e opiniões” não seria tão efetivo quanto estar visivelmente grávida.

E tem de tudo: tem aquelas interações super bem-vindas, como olhares carinhosos pra você, gente gentil que abre a porta, que pega coisas que caíram no chão, pessoas amadas que dão presentinhos e por aí vai.

Mas, e sempre tem um “mas”, existe também o famoso “Tribunal de Avaliação da Barriga”. Pessoas variadas, conhecidas e desconhecidas, compõem esse misterioso tribunal volante, sempre prontas para emitir rapidamente os vereditos sobre a barriga da grávida. “Tá larga”, “tá pontuda”, “tá alta”, “tá baixa”, “nossa! É gêmeos?!” (soco na cara), “tá pequena”, “tá grande”. A verdade é que a barriga nunca está satisfatória pro Tribunal e também é verdade que entre seus membros não existe consenso, porque a grávida pode ouvir todas essas opiniões no mesmo dia, em um simples passeio no shopping.

Tá vendo? Você só queria comprar uma blusa bonita, barata e que chegasse até o fim da barriga sem te fazer sentir que está vestindo uma barraca cigana, mas saiu da loja com um veredito sobre seu corpo. Que feliz!

pregnant-sad-face
sqn

***

De toda forma, voltando às histórias de terror de gravidez e de parto. As pessoas acham que elas estão aí para serem contadas. E se for pra uma grávida, perfeito.

A melhor que eu tenho é essa:

Volta e meia, vou almoçar com o meu marido em um lugar que fica entre a nossa casa e o trabalho, e o universo conspira para que lá eu SEMPRE encontre um cara que é nosso conhecido e que SEMPRE tem um comentariozinho inconveniente pra fazer. “Vocês almoçam bastante aqui né? Devem tar ganhando bem!”.

Enfim, um belo dia chegamos lá pra almoçar e eu vi o cara sentado numa mesa. Eu planejei o meu trajeto pra que ele nem me visse, me servi do buffet meio encolhida – do jeito que dava né, porque eu tava gigante – e sentamos numa mesa bem longe.

Claro, claro que ele me viu. Veio correndo falar com a gente e mais do que rápido notou meu barrigão.

– Nossa, tá grávida! Parabéns!

– Obrigada. (sorriso amarelo)

– Não são gêmeos não, né?

– Ééé…não, só um. Menino.

– Ah, tá, mas tem certeza? Porque uma amiga minha tava grávida e no ultrassom deu que era um só! Mas chegando na maternidade na hora de ter, descobriram que não era um, eram gêmeos!

Nessa hora você abre um sorriso e diz “Poxa, que incrível, que susto, que legal, que benção!”. E foi o que fizemos. Masss (porque eu já disse que sempre tem um “mas”) ele continua:

– Mas sabe que na hora de nascer mesmo, viram que não era mais um nenê! Imagina?                   Era um TUMOR ENORME!!

-…

– Imagina, era tão grande que acharam que era outro bebê!! Então vê se os médicos tão olhando direito hein?!

tumor surpresa!
“shhh, eu sou um  tumor!”

Eu fiquei olhando pra cara dele com um misto de choque e incredulidade, o meu marido segurou as pontas, fez os comentários pertinentes e logo, de alguma forma, ele se despediu.

Mais tarde eu tive que rir e ficar de certa forma grata, porque se algum dia esse concurso existir, foi o mala sem alça que me proporcionou no mínimo o 3º lugar. E se nada disso aconteceu,  – pelo menos já rendeu um texto. Acho que vou ter o telefone dele por perto, pra usar sempre que eu estiver sem inspiração. Mentira.

No mais: tem uma santa que protege as grávidas? Tem.

Mas e Santa que ajuda com a paciência que as grávidas precisam ter? Devia existir essa santa ou santo. Alguém manda um email pro Papa, esse é super gente boa, explica a situação, ele vai entender.

santo das grávidas
esse cara era uma boa pedida

 

 

3 comentários em “Concurso de histórias de terror para gestantes.

  1. Kkkkk
    Você é ótima. Descreve super bem o que acontece com as grávidas e estou passando por tudo isso agora.
    Por sorte, está indo tudo muito bem com minha gravidez e estou muito feliz e realizada, o que está me dando muita paciência e bom humor (que não me é característico) para estar sempre com um sorriso nos lábios para todos os desconhecidos que me abordam.

    Curtir

  2. Olha amiga, me identifiquei! Kkkkk… Sou magra, baixa e fiquei com uma barriga muito, muito gigante, tipo dava aflição mesmo. Na época meu marido tinha um comércio e eu o ajudava aos finais de semana no caixa. Trabalhei até completar 40 semanas. Ou seja, tudo ideal para ser julgada pelo tal tribunal. Todas as 29.999 pessoas que passam por mim no dia tinham um comentário sobre a minha barriga e claro a pergunta que não queria calar “que dia vai nascer? já marcou?”… confesso que no final tinha até medo de responder a essa pergunta, uma vez que minha resposta era: “não sei, vou deixar a natureza agir”. Pronto, era lenha e muito querosene na fogueira.
    “Parto normal? Vc é louca – Deus me livre”
    “Parto normal? Para quê sofrer – fazer o bebê sofrer?
    “Parto normal? Vc é corajosa”
    “Parto normal? Mas cesárea é tão bom – legal – tranquilo”
    “Parto normal? Eu não quis arriscar, marquei minha cesárea e foi ótimo”
    “Parto normal? Mas se precisar tirar o bebê com fórceps vai ficar com sequela neurológica”
    “Parto normal? Vão te cortar lá em baixo”
    “Parto normal? Eu fiquei sofrendo por 12-24-48 horas e tive que ir para cesárea, marca logo a sua”

    E por aí vai… escutei todo o tipo de desinformações, mitos e desgraças que assombram o imaginário feminino sobre o ato de parir (mas bem, com o nível de assistência obstétrica disponível no mercado Brasileiro, não podia ser diferente).
    Enfim, uma história que me chamou atenção e acho que pode competir bem neste concurso é:

    “Eu tenho uma netinha com problema, porque quando ela foi nascer o ‘médico’ deixou passar da hora e entrou AR no cérebro dela, tadinha, ficou com sequela para o resto da vida”.

    Isso aí gente, tanto ouvi histórias de terror sobre partos que acho que acabei pegando o tal do quebrante e não consegui parir. Fui levada aos prantos para a maravilhosa cesariana, onde abriram uma beiça em minha barriga que me deixou na lona por dias e dói até hoje 1 ano e 3 meses depois.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s